Alimente os Peixes!!!!

20 agosto 2009

Coisas de Quinta

Ela procurou na caixa de correspondências a carta que ele prometeu: escrevia todo dia.
Mas não havia nenhuma carta.
Ela estava ansiosa então talvez por isso mesmo não tenha olhado com atenção devida para a pilha de propagandas impressas e por isso mesmo não tinha encontrado o envelope.
Isso era tão claro!
Minuciosamente revisou tudo.
Colocou os folhetos em ordem de tamanho.
Depois em ordem alfabética.
Depois por tipo de serviço.
Depois por gramatura do papel, já que ela tinha alguns conhecimentos técnicos nesse assunto.
Depois por envelopados e sem invólucro.
Estranho. A carta dele, com cheiro de floresta, não apareceu em nenhum momento.
O que poderia ter acontecido?
Além dos excessos de sempre é claro. Além dos explicitados desejos aflorados.
Então ela soube tudo pela rádio.
Era quinta e a novela era cibernética.
E ela não era deusa, você sabe.

6 comentários:

Palhastro disse...

Nossa, Senhora Loirinha Má! Que densidade! Realmente, e sem bajulação, que isso não exite na poesia, pelo menos não nas minhas, gostei muitíssimo deste poema (Crônica), que seja o que for, tem poesia! Outra coisa, gosto muito dos seus textos, mas parece que... cartas, principalmente as que nunca chegarão, formam um tema que eu gosto muito!

Senhora Loirinha Má disse...

Obrigada, Palhastro. Eu escrevo com o coração.

Anônimo disse...

um texto p/ se ler c/ o coração...

simplesmente lindo!

Chacal

Senhora Loirinha Má disse...

Que bom que gostou, Chacal. Fico feliz demais. :)

Anônimo disse...

REPETINDO SUB-POST DE 18/08:

"Ei....sexta tá de pé ???
Se 'sim'...precisamos acertar detalhes!!!

Bruixa...indo pra perto...mas pegando estrada...rs...ao som de Pink Floyd :D"

Senhora Loirinha Má disse...

Sim.